Escolas de Samba emocionam público durante desfiles

A Avenida Alberto Braune ficou lotada na noite deste domingo (11), quando as quatro escolas do município se apresentaram na passarela do samba.
 
Todas elas foram aplaudidas pelo público presente, e julgadas pelos jurados nos quesitos correspondentes.
 
A divulgação das notas acontece nesta quarta-feira próxima, durante o trabalho de apuração.
 
A Nova Friburgo AM transmite ao vivo, a partir das 14h, direto do estádio Eduardo Guinle.
 
A primeira Escola de Samba a entrar na avenida foi a Alunos do Samba.
 
A azul e branco de Conselheiro Paulino desfilou o enredo “Raízes, a celebração de nossas origens”, desenvolvido pelo carnavalesco Juan Diniz.
 
Detentora de 12 títulos, a Escola presidida por Alessandro da Silva se apresentou com 960 integrantes, distribuídos em 20 alas e quatro carros alegóricos.
 
O primeiro casal de Mestre Sala e Porta Bandeira foi formado por Luiz e Neide, e o segundo, por Marquinho e Naná.
 
A bateria Terremoto da Serra, de Mestre Arilson, contou com 120 ritmistas, tendo Jessica Gomes como Rainha e a dupla Raissa e Isabele como Musas.
 
O samba composto Robinho, Sandrinho, Marcone e Daniel é interpretado por Nego Roger e Thiago.
 
Na sequência, a Vilage no Samba falou sobre os 200 anos do município com uma homenagem a São João Batista, padroeiro da cidade e tema central do enredo: “São João, acende a fogueira do meu coração.” 
 
A agremiação desfilou com mil integrantes, distribuídos em 22 alas e cinco carros alegóricos.
 
A bateria de Mestre Negrete teve 80 ritmistas, e com Helen Santos como Rainha e Pâmela Jordão como Musa.
 
O Carnaval da Vilage foi desenvolvido por uma comissão, chefiada pelo diretor Marcelo Cintra, e teve a harmonia coordenada pelos diretores Felipe, Sheila, Fábio e Luiz Augusto.
 
O 1º casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira foi formado por Betão e Alessandra, e o segundo casal por Lucas e Daniele.
 
Terceira a desfilar, a Unidos da Saudade exaltou a própria história na Avenida Alberto Braune com o enredo: “70 Anos - Uma História Bordada de Amor e Paixão”.
 
A roxo e branco do bairro Ypu distribuiu os mil componentes ao longo de 16 alas e quatro carros alegóricos.
 
O Presidente Carlos Henrique Pereira, o jovem carnavalesco Lucas Mello e o Diretor de Carnaval Denilson Wenderroscky comandaram o carnaval da Escola, que teve como Primeiro Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira Douglas e Cassiane, e como segundo Bryan e Renata.
 
A bateria de Mestre Vandinho teve Sueli Lúcio como rainha.
 
O samba foi interpretado por Guto Intérprete.
 
Fechando os desfiles, a Imperatriz de Olaria cantou “O poder da cura na ciência da vida: o clamor de um povo pela proteção divina”.
 
A vermelha e branca desfilou com 800 integrantes, distribuídos em 20 alas, além de cinco carros alegóricos e elementos cenográficos na Comissão de Frente.
 
Ao todo 106 ritmistas fizeram parte da bateria de Mestre Fred, que teve Cristina Feu como Rainha de Bateria, e Emanuely Neres e Juliana Queiroz como Musas.
 
A escola contou ainda com três casais de Mestre-Sala e Porta Bandeira, formados por Paulo Erick e Dandara Luiza, Alessandro e Karol e Matheus e Raissa.
 
O Carnaval da Imperatriz de Olaria foi desenvolvido por uma comissão, e o samba interpretado por Kaísso. 

Michel Teló - Chocolate quente

João Bosco e Vinícius - Deixa a gente quieto

Melanina Carioca Part. Matheus e Kauan - Vai que cola

Thiaguinho - Vamo que vamo

Maria Cecília e Rodolfo - Depois da briga

Nando Reis - Sei

Maiara e Maraísa - Medo bobo

Wesley Safadão Part. Ivete Sangalo - Parece que o vento

Zé Neto e Cristiano - Sonha comigo

Exaltasamba - O mundo tá girando